Campanha do Novembro Azul destaca a importância da prevenção contra o câncer de próstata

Grupo Oncoclínicas realiza 6° Simpósio Internacional para tratar sobre as principais atualidades na área oncológica
29 de outubro de 2018
A importância dos Cuidados Continuados no tratamento de câncer
18 de janeiro de 2019

 

O mês de novembro é marcado pela campanha sobre o câncer de próstata. O chamado Novembro Azul passa um recado fundamental aos homens de todo o país: a importância da prevenção contra o câncer de próstata, um dos tipos da doença que mais acomete o público masculino no mundo. De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer),  cerca de 68.220 novos casos de câncer de próstata foram constatados no ano de 2018 só no Brasil.

A próstata é uma glândula exclusiva do homem, do tamanho de uma noz e que fica entre a bexiga e o reto, o câncer neste local é o  segundo mais comum nos homens, atrás apenas do de pele. Segundo Dr. Nilson Castro, oncologista clínico do Instituto Onco-Vida/Oncoclínicas, o motivo da incidência do câncer de próstata ser tão elevada não é bem esclarecida, mas há algumas razões que contribuem para um maior número de diagnósticos aparecerem. “Fatores como obesidade, dieta hiperproteica e hipercalórica estão relacionadas com um maior número de casos”, define o médico.
O oncologista explica que o aparecimento dos sintomas da doença podem surgir, em alguns casos, somente quando o tumor já está em estágios mais avançados. “O problema é esse, na maioria dos casos é assintomático, só manifesta sintomas quando está em uma fase mais avançada e os sintomas são semelhantes às doenças benignas da próstata, como por exemplo o aumento da frequência urinária, acordar noite varias vezes para ir ao banheiro (nictúria), infecção urinária de repetição e eventualmente sangramento na urina”, diz o doutor.
Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. Mas a grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) que não chega a dar sinais durante a vida (sintomas) e nem a ameaçar a saúde do homem. 
 
Esta situação leva o público masculino a deixar de consultar um especialista para checar se há uma possível alteração no funcionamento ou tamanho da glândula. Além disto, o preconceito criado em torno do chamado “exame de toque”, também é um fator contribuinte na falta de atenção e cuidado da próstata, como diz o Dr. Nilson. “Preconceito leva ao atraso no diagnóstico fazendo com o individuo só procure o médico quando a doença já produz sintomas e nessa situação geralmente já se encontra em estado mais avançado, podendo dificultar a cura”,alerta o oncologista.
Quando o diagnóstico é realizado no inicio, fase em que ainda não produz sintomas,  a taxa de cura é superior a 90%. “Portanto, o exame deve fazer parte da rotina dos homens a partir dos 45 anos de idade”, orienta Dr. Nilson Castro.
O Dr.Nilson ainda afirma que o exame de toque retal é indicado para todos os homens a partir dos 45 anos associado a dosagem do PSA. “Quando se tem história familiar os exames devem ser iniciados aos 40 anos de idade”, conclui o médico.