Brasília sedia I Congresso do Centro-Oeste de Cuidados Paliativos e Dor Oncológica

Outubro Rosa: Oficina de culinária ensina pacientes a prepararem pratos leves e saudáveis
25 de outubro de 2018
Grupo Oncoclínicas realiza 6° Simpósio Internacional para tratar sobre as principais atualidades na área oncológica
29 de outubro de 2018

Por Taynara Aires 

O I Congresso do Centro-Oeste de Cuidados Paliativos e Dor Oncológica foi realizado em dois dias (26 e 27), na Associação Médica de Brasília. A comissão organizadora teve como principal objetivo apresentar estudos e desafios quando se fala em tratamento da dor e cuidados paliativos no Brasil e no mundo. Hoje, no Brasil, de todos os pacientes que necessitam de cuidados paliativos apenas 0,3% têm realmente acesso a eles.

 

A oncologista do Instituto Onco-Vida e do Grupo Oncoclínicas, Andreza Souto, abordou durante sua apresentação importantes aspectos sobre o manejo medicamentoso sob a ótica de eventos adversos e complicações de opioides. “Este é um projeto idealizado por oncologistas, profissionais da saúde, médicos da dor de várias clínicas do DF e sou uma das organizadoras. Então estou muito lisonjeada em participar desta iniciativa. O nosso maior desejo com as discussões e debates é que o paciente com uma doença incurável e de prognóstico reservado, tenha uma vida digna, sem dor, com seus sintomas físicos e psíquicos controlados, ou seja, sem sofrimento”, diz a médica.

 

Segundo a oncologista, há necessidade de desmistificar o uso de opioides, que são medicamentos mais fortes utilizados para dor. “A morfina, por exemplo, não é bem vista pelos pacientes, pois eles acreditam que há relação com a morte. No entanto, ela é um auxílio para a boa qualidade de vida uma vez que a dor precisa ser bem tratada. Além disso, há um medo e insegurança da própria equipe médica em prescrever o uso de opioide. Portanto, o congresso traz a importância dessa capacitação na área da saúde”, explica Dra. Andreza Souto.

 

Durante o evento foram abordados outros métodos utilizados em cuidados paliativos como a musicoterapia, meditação-mindfulness, acupuntura, radioterapia paliativa que também ajudam no tratamento da dor. O I Congresso do Centro-Oeste de Cuidados Paliativos e Dor Oncológica contou com a participação de médicos renomados de todo o país, residentes e estudantes que compreendem a importância da regulamentação e financiamento por parte do governo para os cuidados paliativos, e a necessidade de crescimento dessa atuação em várias áreas da medicina.