4 de fevereiro – Dia mundial do câncer

Janeiro: mês dedicado a prevenção do câncer de colo de útero
23 de janeiro de 2019
Fevereiro Laranja alerta sobre o combate à leucemia, tipo de câncer que afeta os glóbulos brancos do sangue
24 de fevereiro de 2019

 

No dia 4 de fevereiro é celebrado o Dia Mundial do Câncer. A incidência de câncer cresceu 20% na última década. No mundo, espera-se para 2030, 27 milhões de novos casos. No Brasil, dados divulgados pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) estimam cerca de 600 mil novos casos de câncer em 2019. O câncer de pele não melanoma é o mais frequente no Brasil. Depois vem os cânceres de próstata (68 mil) em homens e mama (60 mil) em mulheres.

Esse ano os principais tumores que devem atingir a população masculina são: pele não melanoma, próstata, pulmão, cólon e reto, estômago e cavidade oral. Já os cânceres que mais atingirão as mulheres são: pele não melanoma, mama, intestino, colo do útero, pulmão e glândula tireoide.

Na região Centro-Oeste do país, as estimativas revelam que os cânceres do colo do útero e de estômago estão entre os mais incidentes. Para a oncologista e superintendente do Instituto Onco-Vida, Andréa Farias, esses dados revelam a necessidade da prevenção, educação da população e política nacional para maior acessibilidade aos exames diagnósticos. “No Brasil temos ainda muita dificuldade em implementar projetos de prevenção oncológica que realmente funcionem do início ao fim. Às vezes o paciente tem a consulta, mas não consegue marcar os exames, ou quando faz os exames há demora na entrega dos resultados. A situação passa a ser pior quando o paciente tem o resultado, mas não consegue tratar por falta de equipamentos ou médicos. Enfim, toda a cadeia de prevenção tem que ser eficiente”, ressalta a médica.

Estudos apontam que a descoberta de um câncer em fase inicial aumenta muito a chance de cura. O surgimento da doença pode estar relacionado a diversos fatores como: ambiente, costumes, hábitos de vida e até características genéticas. Por isso, a importância do paciente rever seus hábitos alimentares, praticar exercícios, evitar o consumo de álcool e não fumar. A realização anual de um check-up também é fundamental. A prevenção deve ser realizada no consultório através de exames solicitados pelo especialista.

Para a médica, Dra. Andréa Faria, a internet, através das redes sociais, contribui para a disseminação de notícias sobre o câncer, mas é preciso cuidado. “Hoje encontramos muitas notícias falsas, as Fake News, que divulgam dados ou experiências totalmente errôneas colocando em risco a vida dos leitores. A melhor recomendação é tirar as dúvidas com o seu médico. Sempre use site confiáveis e jamais aceite recomendações de medicações sem o aval de um especialista. Este é o profissional que mais sabe da sua doença”, explica a superintendente do Instituto Onco-Vida.

Apesar do alerta, vale ressaltar que as redes sociais possibilitam troca de experiências e histórias de luta contra o câncer entre milhões de pessoas. Portanto, seja na internet ou pessoalmente, boas doses de amor e apoio são fundamentais para manter o otimismo e a saúde emocional de pacientes e familiares que lutam contra a doença.

Compartilhe a informação e ajude a prevenir e a tratar o câncer. “Ontem ter câncer era uma sentença de morte. Hoje tratamos precocemente essa doença, temos cura e também convivemos com ela dando chance ao paciente de viver com qualidade de vida, realizar seus sonhos. Se essa caminhada precisa ser realizada, temos que torná-la o mais fácil possível. Prevenção é a chave! A detecção precoce dos tumores leva à cura. Vamos difundir essa ideia e fazer a diferença para os nossos amigos”, afirma Dra. Andréa.